quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

It´s a wonderful life


Eu sempre amei o Natal. Sempre. Tem festa mais fofa, mais divertida?
Eu sempre espero ter o melhor Natal de todos os tempos. E, normalmente, tenho.
Esse ano, não foi diferente.
Começou dia 23, com o SBT honrando uma tradição natalina que a Globo uó queria estragar: GRINCH DUBLADO! Amo enlouquecidamente o filme. Acho tudo de fofo, principalmente a coisa de o Natal não vir de uma “store” e, talvez, significar um pouco “more”. (O jeito rimado de falar dos quem é uma delícia!).
Aí dia 24 foi perfeito... Família. A família que vai diminuindo, mas continua unida. Mãe, pai, irmã, cunhado, tio, tia, prima insana. Comidas maravilhosas, conversas divertidas, brincadeiras, piadas, fotos engraçadas, videokê, presentes, muitos presentes.
Papai Noel me deu tudo que eu queria. Roupas e mais roupas, livros... Um DVD da Barbie pink!! A possibilidade de tirar fotos sem depender dos outros! Mas, o que eu mais queria, ele também me deu: ver minha mãe feliz, tranqüila, com uma estabilidade que a possibilitou uma nova sala, banheiros arrumados, muitos presentes. E mais calma.
Dia 25 perfeito, com comidinhas e mais conversas familiares...
Dia 26 com unhas pink e... família.
Dia 27 com muitos filmes.
E dia 28 com uma tarde de Spoleto, Starbucks e Madagascar 2 com um grande amigo.
Pra finalizar, A Felicidade não se Compra, o filme mais gracinha ever e muito choro de felicidade no final do filme. Choro de fé na humanidade restaurada. Choro de fé como um todo restaurada. Choro de ver que tudo é divino maravilhoso. E que nenhum homem (ou meninota) é um fracasso quando tem amigos. E que é mesmo uma vida maravilhosa.
Saldo do Natal: redescobrir a família maravilhosa que eu tenho.
E agradecer ao surdinho lá de cima por ter me presenteado com ela.

Um comentário:

Rufus disse...

Ah! Eu sempre amei o Natal tb! Mesmo com todos os esforços traumático-retóricos feitos para me fazer desistir. Não desisto. E ponto. :D