sábado, 28 de janeiro de 2012

Vamos abrir as Portas da Esperança!




É como se você assistisse sempre o programa. Sempre vendo as pessoas sendo atendidas, realizando sonhos. Um pede um meio de ganhar a vida (e ganha uma fábrica de coxinhas, de fraldas, uma iogurteira top therm, ou whatever). Aí tem aquele que sonha em fazer um curso, dar um upgrade na vida através do aprendizado e as portas se abrem e ele ganhou aquele curso genial de computação que vai mudar o destino dele. Tem os que sonham com um carro e choram de emoção mesmo ao ganhar o mais simples de todos (que pode até ser usado). E é maravilhoso ver as crianças! Coleção de Barbies, todos os gibis da Turma da Mônica (entregues pelo Maurício de Souza - e juro que isso aconteceu e era meu sonho infantil), brinquedos e mais brinquedos... Teve até a menina que queria conhecer a Gretchen! Os olhos brilham e os sorrisos são gigantescos quando a abertura da porta revela tudo isso; inclusive uma rebolativa Gretchen.

E aí você pensa "Eu quero uma bala juquinha, vou lá!". E vai! E, mesmo com todo o suspense que o Sílvio faz (divo!) (e ele sempre faz, ele tem que fazer), você tem certeza de que vai ganhar sua bala. Se as pessoas ganham coisas MUITO melhores, é óbvio que você vai ganhar sua bala! E você só foi no programa, só expôs sua figura pro mundo, por ter certeza.

E, então, chega o grande momento! Com o coração acelerado, você exulta de felicidade, na certeza de sentir aquela saborosa bala juquinha em sua boca. E as portas se abrem. Devagar. Aos poucos. E abrem revelando... o vazio! Nada pra você! Você só pediu uma bala juquinha, nada de mais. E não ganhou. E está ali, em rede nacional vivendo a maior decepção da sua vida e sem saber como agir.

É como se fosse assim...

2 comentários:

Leco disse...

obrigado pelo comentário no meu blog, muito carinhoso!

Obrigado mesmo.
Beijos

Gabriel Schulz disse...

Eu me lembro de uma menina que queria ganhar a coleção da Turma da Mônica e ganhou