domingo, 24 de junho de 2012

Matemágica


Abrir o caderno
Sentir-se infeliz
Elevar-se ao quadrado
Tirar sua própria raiz

Nos momentos difíceis
Multiplicar-se por mil
Dividir entre o povo
A soma da riqueza do Brasil

Sentir-se feliz
Ao perceber que não se é uma dízima
Que podemos sempre mudar
Mesmo que a mudança seja mínima

Ah, se a vida fosse uma parábola...
Mas é tão difícil quanto a inequação
E, reais, vazias ou impossíveis,
O bom seria encontrar a solução

Mas a vida realmente é um gráfico
Onde sou x a procura de y.
Quando as retas se encontrarem,
O futuro será tão bom...

(minha singela homenagem ao lourenço, que, quando eu disse que não sabia NADA de matemática - enfatizando muito o nada - me disse que a única solução pra mim era ir até a biblioteca e pegar um livro do fernando pessoa... e, além de tudo, nunca me deu menos que 8 em geometria...)

Um comentário:

Leco Vilela disse...

Nossa... Tenho um texto que brinca da mesma forma com as operações matemáticas, chama-se FomulAções

hehehe...

adorei!