sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

No fundo do fundo fundo

Uma senhora com cara de índia, blusa bem vermelha, saia, bota, chapéu, óculos e segurando um guarda-chuva florido.

Uma menina que chora falando ao celular. Para de chorar e fala normalmente. E volta a chorar.

Um gordinho lendo uma revista de ufologia.

Um casal tirando fotos: ela faz poses, segurando no corrimão da rampa, ele fotografa.

Uma senhora grita, acenando: "Filhinho!". Um senhor de uns 45 anos acena de volta.

Uma senhora de melissa, fivelinhas no cabelo e segurando uma bolsa pequenina de plástico como se segurasse sua própria vida.

Uma grávida, com uma menininha de pouco mais de um ano. A criança grita "Ei! Ou! Ei! Ou!" e todos em volta sorriem, sem conseguir controlar.

Uma moça sentada num banco laranja na Barra Funda, com uma bolsa roxa no colo - tentando, sempre, se segurar na alça de uma bolsa lilás -, com um sono de quem fofocou até às 4h da manhã e acordou às 8h pq a primavera não a deixa dormir - e pq tem frases que não têm significado aparente, mas são causadoras de insônias violentas -, fazendo cálculos mentais para saber como pagar o que precisa pagar e ainda conseguir comprar um presente para mãe e pras melhores amigas, com uma pequenina mágoa na mente e tentando superá-la, com fome, com vontade de tomar banho e desejando que esse domingo não demore... e observando os tipos diferentes que passam ao seu redor... e anotando.. e escrevendo... e escrevendo...

2 comentários:

Blower's Daughter disse...

Adorei o post. É gostoso observar as pessoas, a gente aprende mais sobre nós mesmos observando o que e quem nos cerca tb.
Vc se agarra na alça lilás e eu na rosa, é, me falta ousadia, hehe.
Te adoro, querida!
Saudades de vc!
Bjokas!

Rufus disse...

Uma das minhas atividades preferidas. Observar o mundo, as coisas, as pessoas, pensar, pensar e...não chegar ao arremate do mistério.