sexta-feira, 6 de março de 2009

NOTHING MAKES ANY SENSE!

A mulher tem 42 anos. Arranja um “marido” de 23. Ok, nada contra diferenças de idade. Mas são 20 anos... Duas décadas.... Pra mim, já começa aí.
E a mulher tem duas filhas. Uma tem 14 anos e deficiências físicas e mentais. A outra tem 9.
E aí o cara, o “maridinho”, estupra as meninas. Meninas. 14 anos. Deficiente. Física e mental. E 9 anos. 9 anos. Um ano a mais que 8, um a menos que 10. Nem uma década ainda.
E quando a menina, a que não tem nem uma década de vida ainda e já nasceu quando não existiriam mais anos começados “por mil novecentos e...”, começa a passar mal, enjôos, tonturas; a mãe a leva ao hospital. Claro, ela é uma boa mãe. Deve ter ficado preocupada. Tanto que levou em um hospital de outra cidade. Ok, nada suspeito.
E aí a menininha (inhainhainhainha) que passa longe de ter 1 metro e meio de altura está grávida. Gêmeos. Uma criança carregando duas. Algo completamente inimaginável.
E então se descobre que o “maridinho” da atenciosa mãe é o pai dos gêmeos. E que ele estuprava as meninas (eu preciso repetir: 14 anos, deficiência física e mental, e 9 anos) há 3 anos. Ou seja, desde que elas tinham 11 anos – e ainda deficiência física e mental – e 6 anos. S-E-I-S anos. E que, às vezes, pra compensar, ele dava R$1,00 pra elas. Aaaaaaah, tá! Aí, sim. Tudo bem.
E, ei, espera aí. Há uma justificativa. Elas o provocavam. Essas crianças de hoje em dia... Já estão provocando os rapazes com 6 anos de idade, minha gente. Eu não sei se é mais absurdo uma mini-criança de 6 anos provocar um marmanjo cara-de-pau ou uma menina com deficiências físicas e mentais fazer o mesmo, juro.
E quando há um pouco de noção e realizam o aborto, pra preservar o que ainda é possível preservar dessa criança de 9 anos, vem um cretino, foragido do Inferno, de um arcebispo, bispo, padre ou seja lá que porcaria religiosa ele seja e condena o aborto. E excomunga (um verbo que eu nem sei conjugar) os envolvidos no aborto.
E, sim, há uma justificativa linda. O aborto não era a vontade de Deus. Opa, os estupros eram? A gravidez era?
Esse senhor religioso que me desculpe, mas eu acho que Deus – por mais fanfarrão que seja – é um cara muito bacana pra condenar uma criança assim. E, também, pra condenar pessoas que fizeram o possível pra ajudar uma criança.
E o senhor religioso que me desculpe, mas eu acho que ele é um grandissíssimo idiota e que Deus não aprovaria sua existência. Mereço a excomunhão tb? Oba!
E, depois de tudo isso, eu me pergunto: “Ok, só eu acho que o universo enlouqueceu?”. Pq nada disso faz o menor sentido pra mim. Nada.
E fico com uma vergonha tremenda da raça humana...

3 comentários:

Cafezinho disse...

Minha querida que texto maravilhoso! Infelizmente o tema chega a ser nojento. Espero que esse arcepisbo e esse padastro vão para o inferno juntos! Que fiquem grudados por resto da eternidade e que molestem um ao outro diariamente!
Opa! Será que eu também serei excomungada?
Quanto às crianças... Não há o que dizer.. Só que sofrerão essa memória até o fim dos dias... Jamais esquecerão... Então desejo que consigam ao menos sobreviver a essa loucura!
E a mãe... bom, deixa pra lá...

KimdaMagna disse...

...…Quando todos os ingredientes necessários como a compra,
consumismo, música, drogas, sexo não conseguem
realizar o precipitado mágico, então a graça ocasional
da festa resulta em melancolia….
Revela-se a nossa barbárie lembrando que o homo demens
Se tornou mais poderoso que o homo sapiens...

nÃO SEI NÃO, SE NÃO VEM MESMO AÍ O TEMPO DO CAOS DA AFECTIVIDADE...
da frieza dilacerante...

eu pasmo só perante todos os manuais de ciência e sapiência que dizem, escrevendo que estamos a evoluir...

xaxuaxo

Fernanda Bello disse...

A raça humana é a desgraça do mundo. Fui excomungada. Bjo.